Atenção para a quantidade e frequência que tem ingerido bebidas alcoólicas

O isolamento social pode ser um problema para muitos idosos, com consequências negativas para sua saúde, incluindo o abuso de álcool. Com a COVID-19, esse problema agrava-se durante a quarentena e gera preocupação entre especialistas. Confira o que pode ser feito para dar apoio aos idosos neste período.

O uso de álcool está relacionado a uma ampla gama de danos físicos, mentais e sociais.

Pesquisa da Fiocruz aponta que 18% dos respondentes relataram ter aumentado seu consumo de álcool durante a pandemia. A elevação do consumo estaria relacionada principalmente às mudanças no estado de ânimo da população durante o período, sobretudo à frequência dos sentimentos de tristeza e depressão.

Não é novidade que a cerveja é a bebida favorita dos brasileiros. Segundo a Organização Mundial da Saúde, é consumida por 61,8%. Agora, que ela pudesse causar a morte de pessoas, contudo, foi algo que deixou os consumidores assustados e com muitas dúvidas a respeito da segurança em relação ao seu consumo.

Riscos de contaminação por coronavírus para pacientes em tratamento psiquiátrico.

Saiba quais são as situações em que qualquer quantidade de álcool pode ser prejudicial e os motivos dessa orientação.

Por Arthur Guerra.

 

Gerenciamento da ingestão de bebidas deve ser seguido no pós-pandemia.

Dra. Conceição Aparecida de Mattos Segre, pediatra, Conselheira Científica do CISA e Coordenadora do Grupo de Trabalho da Sociedade de Pediatria de São Paulo sobre os “Efeitos do álcool na gestante, no feto e no recém-nascido”, comenta publicação sobre o consumo de álcool durante a gestação.

Rua do Rócio, 423 Salas 1208/1209
São Paulo - SP - 04552-000

Tel: +55 11 3842.3388
contato@cisa.org.br

Assine o nosso Boletim

CISA, Centro de Informações sobre Saúde e Álcool