O alcoolismo é uma doença crônica, que pode e deve ser tratada. No segundo vídeo da série, o Dr. Arthur fala sobre os tipos de tratamento mais comuns. Vale lembrar que cada caso é um caso! A escolha estratégia mais adequada depende da avaliação de um médico. Confira!

O uso de álcool está associado à diversas consequências sociais, morais, familiares, entre outras.

O uso de bebidas alcoólicas por menores de idade está relacionado ao maior número de óbitos de jovens do que todas as drogas ilegais somadas.

Com as pessoas ficando mais em casa nas últimas semanas, alerta-se para o aumento de violência doméstica e o consumo nocivo de álcool como um fator de risco para esse tipo de agressão.

Pesquisa da Fiocruz aponta que 17,6% dos respondentes relataram ter aumentado seu consumo de álcool durante a pandemia. A elevação do consumo estaria relacionada principalmente às mudanças no estado de ânimo da população durante o período, sobretudo à frequência dos sentimentos de tristeza e depressão.

O isolamento social pode ser um problema para muitos idosos, com consequências negativas para sua saúde, incluindo o abuso de álcool. Com a COVID-19, esse problema agrava-se durante a quarentena e gera preocupação entre especialistas. Confira o que pode ser feito para dar apoio aos idosos neste período.

Ainda que, para a maioria das pessoas, beber não traga problemas sérios, uma parcela da população o faz de forma perigosa.

Por Arthur Guerra.

 

Gerenciamento da ingestão de bebidas deve ser seguido no pós-pandemia.

Dra. Conceição Aparecida de Mattos Segre, pediatra, Conselheira Científica do CISA e Coordenadora do Grupo de Trabalho da Sociedade de Pediatria de São Paulo sobre os “Efeitos do álcool na gestante, no feto e no recém-nascido”, comenta publicação sobre o consumo de álcool durante a gestação.

Página 1 de 2