Avaliação de instrumento de detecção de problemas relacionados ao uso de álcool (CAGE)

22 dezembro, 2004

Pesquisa investigou a validade da utilização do CAGE na detecção dos problemas relacionados ao uso de álcool entre trabalhadores da Prefeitura do Campus da Universidade de São Paulo (USP) - Campus Capital.

O uso de álcool pode ser responsável por acidentes, atrasos e faltas no trabalho. Sua detecção é limitada pelas dificuldades de pacientes e médicos quanto ao assunto. O questionário CAGE, que é composto por quatro perguntas de fácil memorização, pode ser uma alternativa fácil, rápida e pouco intimidativa na detecção dos Problemas Relacionados ao uso de Álcool (PRA).

O questionário consiste das seguintes perguntas:

1. Você já tentou diminuir ou cortar ("Cut down") a bebida?
2. Você já ficou incomodado ou irritado ("Annoyed") com outros porque criticaram seu jeito de beber?
3. Você já se sentiu culpado ("Guilty") por causa do seu jeito de beber?
4. Você já teve que beber para aliviar os nervos ou reduzir os efeitos de uma ressaca ("Eye-opener")?

Os autores do questionário tiveram como objetivo avaliar os indicadores de validade do CAGE -sensibilidade (S); porcentagem de alcoolistas corretamente identificados, especificidade (E); porcentagem de não-alcoolistas corretamente identificados, valor preditivo positivo (VPP); número de verdadeiros positivos dividido pelo número total de positivos no teste multiplicado por 100 e a área sob a curva ROC (ASC); medida da capacidade do instrumento em estimar o diagnóstico - entre funcionários da Prefeitura da Cidade Universitária, utilizando a Entrevista Clínica Estruturada para o DSM-IV, a SCID 2.0.

Foram selecionados aleatoriamente 203 funcionários para entrevista com um questionário sociodemográfico seguido do CAGE e da SCID 2.0. Os indicadores de validade do CAGE foram analisados através dos resultados da SCID2.0 para abuso e dependência do álcool e dos dados sociodemográficos pelo cálculo do qui-quadrado.

Entre os 192 funcionários entrevistados, a prevalência do CAGE positivo foi 19,8%, com os seguintes indicadores de validade para a detecção da PRA: S=84,4%, E=93,1% , VPP= 71,1% e ASC=0,88 (p<0,01) e para dependência do álcool: S=91,3%, E=89,9%, VPP= 55,3% e ASC=0,90 (p<0,01). Houve associações significativas entre o CAGE positivo e as seguintes características: 1) faixa etária de 61 anos ou mais (p=0,04); 2) sexo masculino (p=0,01); e 3) função operacional (p=0,02).

Os pesquisadores concluíram que o CAGE teve menos falsos positivos na detecção de PRA (abuso e dependência conjuntamente) que na detecção de dependência do álcool isoladamente. Os resultados para faixa etária e sexo podem refletir limitações do CAGE. Funções operacionais podem indicar um risco para PRA. O CAGE foi considerado válido na detecção de PRA no local de trabalho, pois além dos resultados descritos acima, revelou-se um instrumento pouco intimidativo, econômico e de aplicação fácil e rápida (menos de 1 minuto para aplicação).

Additional Info

  • Autor(es): R.A. Amaral e A. Malbergier
  • Fator de impacto da revista: 0.0894
  • D.O.I.: dx.doi.org/10.1590/S1516-44462004000300005
  • Título(s) original(is): Avaliação de instrumento de detecção de problemas relacionados ao uso de álcool (CAGE) entre trabalhadores da Prefeitura do Campus da Universidade de São Paulo (USP) - Campus Capital - Evaluation of a screening test for alcohol-related problems (CAGE) amo
  • Fonte:

    Rev Bras Psiquiatr, 26(3), 156-163, 2004 (http://www.scielo.br/sciel.php?script=sci_serial&pid=15161-4446&lng=en&nrm=iso)

Rua do Rócio, 423 Salas 1208/1209
São Paulo - SP - 04552-000

Tel: +55 11 3842.3388
contato@cisa.org.br

Assine o nosso Boletim

Copyright © 2020. CISA, Centro de Informações sobre Saúde e Álcool