Câncer atribuível ao consumo de álcool

12 agosto, 2021

Estudo recente, publicado na renomada revista Lancet Oncology, analisa casos de câncer causados pelo álcool, apontando que mesmo quantidades pequenas podem contribuir para a ocorrência da doença.

Estudo com estatísticas populacionais sobre o consumo de álcool em todo mundo1 estimou que mais de 740 mil novos casos de câncer foram atribuíveis ao álcool em 2020, compondo uma “fração atribuível ao álcool” (FAA) de 4% no conjunto de todos os tipos de cânceres. FAA é a proporção de agravos e mortes atribuíveis ao álcool, e pode ser interpretada como a proporção de mortes que desapareceriam se não existisse o consumo de álcool2. Para entender melhor o que é FAA e ver suas estimativas para outras doenças, consulte nosso novo relatório “Álcool e a saúde dos brasileiros: Panorama 2021”.    

Além de apresentarem os dados gerais, os pesquisadores analisaram o impacto que os níveis de consumo têm na incidência dos 741.300 casos de câncer atribuídos ao álcool em 2020. Foram criados três níveis de consumo: moderado (menos de 20g de álcool puro por dia), de risco (de 20 a 60g por dia) e pesado (mais de 60g por dia). O consumo pesado contribuiu com 46,7% dos novos casos de câncer; o consumo de risco com 39,4% e o moderado com 13,9%.  Os autores referem que não há  nível  seguro de consumo, pois mesmo  quantidades menores que  10g de álcool puro/dia, (menos que uma dose padrão), contribuíram para a ocorrência de 41 mil novos casos de câncer.

Os homens são mais afetados e correspondem a 76% dos casos. Os cânceres mais frequentes são: esôfago, fígado e mama. Os maiores índices foram registrados na Ásia Oriental (5,7%) e Europa Central e Oriental (5,6%) e os menores no norte da África (0,3%) e Ásia Ocidental (0,7%). Os autores consideram que suas estimativas são conservadoras e o estudo possui algumas limitações: não foram considerados os efeitos sinérgicos entre o álcool e tabaco no câncer das vias respiratórias e as contribuições das hepatites B e C no câncer de fígado.

O estudo sugere e recomenda maior atenção nas intervenções e políticas públicas que sejam efetivas para a conscientização sobre os riscos de câncer relacionado ao consumo de álcool.

Você sabia que, segundo a OMS, não existe um padrão de consumo de álcool que seja absolutamente seguro? Para saber mais, veja nosso texto sobre consumo moderado.

Additional Info

  • Referências:
    1. Rumgay H, Shield K, Charvat H, et al. Global burden of cancer in 2020 attributable to alcohol consumption: a population-based study. Lancet Oncol. 2045;0(0). doi:10.1016/S1470-2045(21)00279-5
    2. OMS. Global Status Report on Alcohol and Health 2018. Genebra: Organização Mundial Da Saúde; 2018.; 2018.

A gente usa cookies para melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com os nossos Termos de Uso e Política de Privacidade. Você tem a opção se deseja permitir ou não. Observe que, ao rejeitá-los, poderá limitar sua experiência no site.