Consumo de álcool e distúrbios do sono em mulheres

22 fevereiro, 2021

O consumo de álcool por mulheres vem aumentando cada vez mais no Brasil e no mundo.  Nas últimas décadas, estudos vêm analisando o impacto do álcool na saúde da mulher e apontando suas particularidades.

 

Um dos aspectos que chama a atenção é a relação entre álcool e sono. De maneira geral, para ambos os sexos, o consumo de álcool prejudica a qualidade do sono. Algumas doses já podem provocar interrupções indesejadas do sono no meio da noite (Inkelis et al., 2020).

Assim, não é difícil compreender que também existe uma forte associação entre transtornos relacionados ao uso de álcool (abuso e dependência) e distúrbios do sono, com estudos mostrando a coocorrência de ambos de 36 a 90%.  Deve-se salientar, ainda, que a relação é bidirecional: pessoas com distúrbios do sono têm mais risco de beber álcool de maneira nociva (muitas vezes, como uma ferramenta para pegar no sono).

Historicamente, as pesquisas dessa associação foram realizadas majoritariamente em homens. Nesse sentido, muito menos é sabido especificamente sobre a relação entre consumo de álcool e sono nas mulheres. No entanto, é provável que diferenças entre os sexos influenciem a relação entre consumo de álcool e qualidade de sono. Sabe-se que as variações hormonais pelas quais a mulher passa podem afetar o sono e aumentar as chances de ocorrência de distúrbios do sono. Como exemplo, mulheres têm risco 40% maior de desenvolver insônia, e esse risco atinge seu máximo em momentos de transição de períodos reprodutivos, como puberdade, gravidez e menopausa (Inkelis et al., 2020).

Alguns estudos apontam uma tendência maior entre mulheres de utilizar álcool como “automedicação” para distúrbios do sono. Isso é consistente com outros dados que apontam as mulheres como mais susceptíveis a consumir álcool como uma forma de “reforço negativo” (isto é, visando a retirada de um problema ou estímulo desagradável).

Até o momento, existe apenas um estudo científico comparando os efeitos agudos do consumo de álcool levando em consideração a diferença entre sexos (Arnedt et al., 2011). Observou-se que mulheres, depois de consumirem álcool, apresentavam pior qualidade de sono em comparação a homens.

Em suma, sabe-se que o consumo de álcool prejudica a qualidade do sono e que distúrbios do sono são preditores de consumo de álcool, frequentemente como forma de “automedicação”. Contudo, ainda são necessários mais estudos para compreender a relação bidirecional entre transtornos relacionados ao uso de álcool e distúrbios do sono, bem como as diferenças entre homens e mulheres.

 

Additional Info

  • Referências:

    Arnedt, J. T., Rohsenow, D. J., Almeida, A. B., Hunt, S. K., Gokhale, M., Gottlieb, D. J., & Howland, J. (2011). Sleep Following Alcohol Intoxication in Healthy, Young Adults: Effects of Sex and Family History of Alcoholism. Alcoholism: Clinical and Experimental Research, 35(5), 870–878. https://doi.org/10.1111/j.1530-0277.2010.01417.x

    Inkelis, S. M., Hasler, B. P., & Baker, F. C. (2020). Sleep and alcohol use in women. Alcohol Research: Current Reviews, 40(2), 1–15. https://doi.org/10.35946/arcr.v40.2.13