English Version

Ser bonito te faz beber mais?

05 Janeiro 2023

Um curioso estudo busca analisar como a beleza pode afetar o consumo de álcool por jovens

A atratividade de uma pessoa é conhecida por afetar diversos fatores referentes à socialização. Um estudo analisou dados referentes a mais de 90 mil escolares norte-americanos e buscou estimar a relação entre a atratividade destes adolescentes e os comportamentos de risco relatados por eles, sendo um destes comportamentos o consumo de álcool1.
O levantamento longitudinal, chamado de Add Health, coletou dados destes escolares entre 12 e 17 anos, e os acompanhou até a faixa etária de 24 a 32 anos. Os pesquisadores observaram que os adolescentes com maior atratividade tinham menores chances de engajar em diversos comportamentos problemáticos, como uso de cigarro, drogas, ou prática de sexo desprotegido.
O consumo de álcool, contudo, destoou dos outros comportamentos de risco, pois os adolescentes mais atraentes exibiam maior risco de beber. Além disso, analisando a relação entre beleza e problemas relacionados ao uso de álcool na vida adulta destes participantes, o estudo aponta uma relação entre os dois, existindo uma fraca tendência de pessoas consideradas atraentes na adolescência terem maior chance de ter problemas relacionados ao uso de álcool, como consumo abusivo e dependência. Este efeito foi mais evidente entre os homens, ao passo que, entre as mulheres, os efeitos pareciam ser observados igualmente em ambos os extremos (ou seja, entre mulheres muito atraentes e pouco atraentes). O estudo não procura explicar essa associação, mas é razoável supor que ela passa pela sociabilidade, ou seja, adolescentes mais atraentes tendem a ser mais populares e terem mais oportunidades de socialização em que o álcool está presente.
Este estudo, apesar de interessante, possui diversas limitações. Uma delas está na própria subjetividade das classificações de atratividade, que podem variar de pessoa para pessoa. Além disso, este critério era avaliado pela própria equipe entrevistadora, e não por pares. Soma-se a isso a dificuldade de segmentar diversas variáveis associadas, como socialização e autoestima. De maneira geral, este deve ser entendido como um projeto inicial, e outros estudos precisam ser feitos para entender o real efeito da atratividade na probabilidade de engajamento em comportamentos de risco. De todo modo, pesquisas como essa ressaltam a importância de compreender os comportamentos relacionados ao álcool no âmbito do contexto social em que ocorrem.

Additional Info

  • Referências:

    Green, C.P., Wilson, L. and Zhang, A., 2022. Beauty, Underage Drinking, and Adolescent Risky Behaviours.

Rua do Rócio, 423 Salas 1208/1209
São Paulo - SP - 04552-000

Tel: +55 11 91257-6108

Dúvidas: contato@cisa.org.br
Parcerias: parcerias@cisa.org.br

Assine o nosso Boletim

CISA, Centro de Informações sobre Saúde e Álcool