Recaída e vontade de beber nos doze primeiros meses seguintes ao tratamento de alcoolismo

28 outubro, 2004

Artigo publicado na revista Alcohol and Alcoholism relata pesquisa que investigou a natureza das recaídas entre pacientes alcoolistas com o objetivo de melhorar os tratamentos para a dependência de álcool.

A efetividade dos tratamentos para os problemas decorrentes do uso de bebidas alcoólicas tem sido claramente demonstrada nas últimas décadas, mas as recaídas após o período de tratamento ainda são comuns.

Antes de a recaída ocorrer alguns pacientes em abstinência relatam sentir vontade intensa de beber (craving). A presença deste tipo de anseio tem revelado associação com recaídas, quadros mais graves de alcoolismo e maiores probabilidades de abandonar o tratamento.

Anton et al. (1995)*, desenvolveu uma escala que mede as características obsessivas e compulsivas associadas ao uso de álcool (OCDS - Obsessive Compulsive Drinking Scale). Este instrumento quantifica os aspectos cognitivos do impulso de beber (craving) e os escores obtidos foram preditivos do consumo total de bebidas alcoólicas após um período de tratamento de 12 semanas.

Os autores investigaram a associação entre a presença da vontade intensa de beber, medida através da OCDS, e a abstinência entre pacientes dependentes de álcool, bem como, a taxa de recaídas durante e após o término de um programa intensivo de tratamento ambulatorial.

Os participantes foram entrevistados no início e ao final do tratamento, e, novamente passados 12 meses do término do tratamento.

De um total de 103 pacientes dependentes de álcool, 74 completaram o programa de tratamento. Destes, 97% foram entrevistados novamente após 12 meses. Os trinta e dois pacientes que recaíram durante o período de tratamento (desistentes), demonstraram níveis mais intensos de vontade de beber medidos através dos escores obtidos no OCDS e significativamente maiores escores nas escalas "obsessão" e "controle do beber e suas consequências" comparados aos obtidos por pacientes que permaneceram abstinentes. Dos 74 pacientes que completaram o programa, 16% apresentaram um episódio importante de recaída durante os 12 meses seguintes ao tratamento. Estes episódios de recaída estavam relacionados aos escores obtidos na escala "obsessão".

Os pesquisadores concluíram que o escore total obtido no OCDS foi preditor da recaída entre pacientes ambulatoriais. Eles recomendam que o tratamento e o pós-tratamento de pacientes com vontade intensa de beber devam ser intensificados.

* Anton, R. F., Moak D. H. and Lathamp, P. (1995) The Obsessive Compulsive Drinking Scale: a self-rated instrument for the quantification of thoughts about alcohol and drinking behavior. Alcoholism: Clinical and Experimental Research 19, 92?99. (German version: Mann, K. and Ackermann, K. (2000) Psychometrische Kennwerte der deutschen Version der Obsessive Compulsive Drinking Scale. Sucht 46, 90-100).

Additional Info

  • Autor(es): Bottlender M; Soyka M
  • Fator de impacto da revista: 1.753
  • D.O.I.: 10.1093/alcalc/agh073
  • Título(s) original(is): Impact of craving on alcohol relapse during, and 12 months following, outpatient treatment.
  • Fonte:

    Alcohol & Alcoholism Vol. 39, No. 4, pp. 357-361, 2004

Rua do Rócio, 423 Salas 1208/1209
São Paulo - SP - 04552-000

Tel: +55 11 3842.3388
contato@cisa.org.br

Assine o nosso Boletim

CISA, Centro de Informações sobre Saúde e Álcool